| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Entrelinhas
Desde: 26/03/2009      Publicadas: 27      Atualização: 20/06/2009

Capa |  Geral  |  Local


 Local

  14/04/2009
  0 comentário(s)


TEATRO - Arte estimula a consciência para cidadania


A incorporação dos conceitos na correta aplicação dos impostos chama atenção de platéias pelo Brasil; mais de 50 mil pessoas já assistiram o espetáculo

TEATRO - Arte estimula a consciência para cidadania
Grupos de voluntários têm usado o teatro como meio de promover e exercitar a cidadania. A peça"O Auto da Barca do Fisco", professor do Departamento de Anatomia da Universidade Estadual de Maringá é Marcílio Hubner de Miranda Neto, é um exemplo.
A peça se passa em um ambiente celestial e pretende, numa linguagem simples e bem humorada, estimular a reflexão sobre a cidadania, a arrecadação de tributos e sua adequada aplicação para garantir serviços e bens públicos de qualidade.
Miranda Neto disse que usa o teatro porque ele trata com afetividade das pessoas e a partir daí, há uma identificação com os personagens. E, ao mexer com o lado emocional, torna-se mais fácil a incorporação dos conceitos.
Para ele, o teatro não é um trabalho onde o indivíduo é obrigado a estudar sobre os valores da cidadania. "O público aprende pela observação e pela emoção vivenciada por cada personagem", afirmou.
Por meio do teatro, são suavizadas as palestras e os eventos de Educação Fiscal. Tema pesado e cansativo para o leigo. O resultado é positivo, já são cinco anos de estrada com 150 apresentações.
As apresentações incluem escolas, faculdades, universidades, clubes de serviços e associações. Mais de 50 mil pessoas, de todas as idades já viram o espetáculo.
Miranda Neto informou que os personagens são fictícios, mas as histórias ali vivenciadas são reais e atuais e sintetizam o dia-a-dia do cidadão comum em linguagem teatral.
A partir dessa experiência, muitos outros trabalhos foram desenvolvidos em colégios, outros estados e até fora do país. É o caso de Honduras, na América Central, com uma adaptação para a cultura local.
O elenco é formado por voluntários e tem o apoio da - Sociedade Eticamente Responsável (SER Maringá), Museu Interdisciplinar da Universidade Estadual de Maringá (MUDI/UEM) e das Receitas Federal e Estadual de Maringá.
Saiba mais sobre a peça "O Auto da Barca do Fisco" em www. mudi.uem.br

CLOWNS - Outra experiência positiva que usa o teatro de forma cidadã é o projeto Médicos da Graça. Criado há três anos, o projeto é coordenado pela professora Ieda Higarashi, do Departamento de Enfermagem e pela Diretoria de Cultura da Universidade Estadual de Maringá. A direção é de Pedro Ôchoa.
Os clowns (palhaço em inglês) visitam a ala prediátrica dos hospitais. Ôchoa disse que a idéia de usar o teatro surgiu da necessidade de resgatar os direitos da criança hospitalizada. "Ela não deixa de ser criança". Diz que foi inspirado no projeto Doutores da Alegria, que existe em São Paulo. .
Para o diretor, o grande mérito do projeto é a proposta de humanização do atendimento hospitalar da criança enferma e da equipe que trabalha com essa criança, desde o médico, passando pela enfermeira, até o zelador. O astral muda completamente com a presença do palhaço no hospital que é ambiente normalmente tenso", garante
O trabalho é voluntário.O projeto já multiplicou a experiência para as cidades de Cianorte, Cascavel e Loanda, no Paraná.
Hoje, a equipe tem 25 integrantes, que atuam em rodízio.
Qualquer pessoa pode integrar o projeto. Os selecionados e recebem treinamento especial.


Serviço: Outras informações sobre os Médicos da Graça: www.medicos da graca.com.br ou pelo telefone (44) 3261-3880.

foto(1) Integrantes da peça teatral O auto da barca do fisco
Crédito: Acervo/SER Maringá

foto (2) Médicos da Graças encenam no Hospital Universitário de Maringá
Crédito: Heitor Marcon
  Autor:   Marcelo Henrique Galdioli


  Mais notícias da seção Cultura no caderno Local
14/04/2009 - Cultura - O PODER DO LIVRO
"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde." (André Maurois)...
02/04/2009 - Cultura - SEMPRE HÁ TEMPO PARA SER FELIZ
O aumento da longevidade esta levando o brasileiro a adotar hábitos saudáveis para ser feliz. A dança é uma opção para a prática de exercícios e ainda se divertir....



Capa |  Geral  |  Local
Busca em

  
27 Notícias